Cursos de Fotografia Um pouco da historia da Sociedade Fluminense de Fotografia Links para sites de fotografos e outros relacionados a fotografia Eventos realizados na Sociedade Fluminense de Fotografia Algumas galerias com fotografias de nossos membros Divulgação de conursos de fotografia Fale conosco através do formulário de contato ou telefone
Curso de Fotografia


Jayme Moreira de Luna

JAYME MOREIRA DE LUNA, bacharel em Direito, um dos maiores artistas da fotografia brasileira, mineiro de Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais, nasceu a 10 de Outubro de 1914 e faleceu em Niterói, RJ, em 28 de novembro de 1999. Era niteroiense por opção. Aqui fincou suas raízes. Amadureceu sua arte. Em 1944, em plena Segunda Guerra Mundial, liderando um grupo de amigos apaixonados por fotografia, fundou, no porão habitável de sua solarenga em estilo “art nouveau”, na Avenida Sete de Setembro 204, em Niterói, a operosa Sociedade Fluminense de Fotografia, da qual foi presidente reeleito inúmeras vezes e onde fundou e dirigiu a SFF-Revista, publicação oficial da agremiação.
Graças a seus trabalhos premiados em grande número de exposições internacionais, foi agraciado, em 20 de Março de 1957, pela Féderation Internationale de L’Arte Photographique, com sede em Berna na Suíça, com o título máximo daquela

instituição, Honoraire Excellence FIAP(HonEFIAP) que diz: Em Hommage à ses efforts, à ses travaux, à sa technique dans le domaine de L’art photographique et reconnaissance pour les services éminents qu’il a rendus à la cause de la Photographie. - Berne, 20 Mars 1957 - Le Président: Dr. M. van de Wyer.
A atuação da Sociedade Fluminense de Fotografia foi de tal projeção, divulgando nossa terra e nossa gente no exterior, que mereceu uma lei do ex-deputado Alberto Torres autorizando o Estado a doar um terreno para a construção da sede da agremiação que foi assinada pelo ex-governador Edmundo de Macedo Soares e Silva, a 17 de outubro de 1949. Certa vez, uma universitária norte-americana dirigindo-se a Jayme Moreira de Luna, queixou-se dizendo que pretendera fazer uma homenagem ao Brasil mas não encontrara fotos de nosso país na embaixada e em nossos   consulados

nos Estados Unidos. Sem perda de tempo, Jayme Moreira de Luna procurou o então chefe da Divisão Cultural do Itamarati, embaixador e escritor Nélson Tabajara de Oliveira, e colocou a Sociedade Fluminense de Fotografia, não só para atender à universitária americana, mas também para difundir o Brasil no exterior, o principal objetivo da agremiação, como reza seu estatuto. E, assim, ele próprio, a suas expensas, fotografou todo o litoral brasileiro e, organizando coleções de cinqüenta fotos cada uma, remeteu-as às nossas representações diplomáticas nos principais países do mundo.


Fontes: Arquivos da Sociedade Fluminense de fotografia, Sala Fluminense da Biblioteca Estadual de Niterói, Grande Enciclopédia Delta Larrouse, arquivo de A TRIBUNA, e arquivo da Féderation Internationale de L’ Arte Photographique.

LUÍS ANTÔNIO PIMENTEL